Mesmo quando…


por Rita Durigan (para Valentina)

Mesmo quando seus olhos estiverem voltados pra outro lado e seus pés buscarem mundos que eu não puder tocar;

Mesmo se nossas mãos estiverem soltas umas das outras ou apenas quisermos voar;

Mesmo que a voz se cale, que a saudade exale, que estivermos sós;

Mesmo assim eu estarei ali. E você vai saber. Signifique ali onde for.

Mesmo se for só dentro do seu coração, onde você guarda seus sonhos e meus beijinhos – como a Vovó ensinou. Onde guarda meu olhar e o timbre da minha voz. O que te conto, te explico. Meu bronquejar e meu calar pra te ouvir.

Porque acredito no poder do amor, filha minha. E é de puro amor que somos um pouco uma a outra, que nos regamos dia a dia e sempre seremos sua e minha.

Da sua eterna Mamãe.

(escrito em 8 de setembro de 2016, enquanto você dormia)img_0855

One thought on “Mesmo quando…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s