Dance na quarentena

por Rita Durigan (para Dede Lovitch)

Ela transpira teatro, dança, movimento, verdade. Seus filhos nasceram do e no teatro. É nele que eles vivem, no Teatro Real. Porque Dede é verdade, nua, crua, pulsante.

Poucas vezes a vi com medo nessa trajetória de anos e anos. Pouquíssimas. Mas já vi.

Já choramos e sorrimos juntas. Já me espantei com a clareza de suas “rebeldias” para esse sistema tão sistemático e cerceador. Mas, por tantas vezes, somente lá na frente, como a criança que cresce e olha pra trás e compreende o que dantes lhe parecia tão nonsense, eu digo: “amiga, você tinha razão. Sua loucura era tão lúcida, eu que não tinha maturidade suficiente para compreender.”

“Dance na quarentena” é um convite para a sanidade em tempos de cólera, em tempos de vírus visíveis e invisíveis que nos afetam de todas as formas, se permitirmos ou bobearmos.

Há tantas sutilezas nessa dança ritmada pelo improviso. Há tantas entrelinhas que me fazem ver e rever pra tentar absorver o máximo que eu puder. Lá na frente, talvez, eu compreenda alguns dos movimentos que agora me escapam, amiga. Mas eu fico em paz, pois já aprendi que você estará lá para, com seu sorriso pacífico, para me acolher de novo.

Dede, na verdade seu título bem poderia ser: “Dance na vida!”, como você tem feito todos os dias.

 
Gosta do nosso conteúdo? Quer nos ajudar a manter essa plataforma de diálogo sobre o maternar?
Colabore em R$: catarse.me/criarcomasas
Colabore em U$: patreon.com/criarcomasas
 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s