Carta a meu pai

Meu pai,

54 anos em sua companhia, quantas coisas você me ensina, me mostra, me surpreende…

Me deixa curiosa, e do seu jeito, me faz entender que a vida é uma só, e por isso merece ser respeitada e vivida da forma que cada um acredita ser a melhor.

Muitas e muitas vezes conversamos por telepatia, sim telepatia, que doideira né. Mas isso não é super-poder, assim, de super-herói da Marvel. Muito diferente disso, você tem e construiu, junto com minha mãe, o super-vínculo que, ao contrário do que possa parecer, não me amarrou, mas sim me libertou para existir por mim mesma. Me conduziu a um caminho de auto-estima e fortalecimento da minha potência como mulher.

Sempre me incentivou a fazer qualquer coisa que eu quisesse, você jamais me “aconselhou” a não fazer algo só por eu ser mulher.

Hoje em dia, temos nossas diferenças políticas, mas uma coisa eu sei, nada, nada mesmo vai tirar essa nossa construção de amor, amizade, afeto e alegria.

Te amo “PAL”

sua filha Andrea

2 thoughts on “Carta a meu pai

Deixe uma Resposta para Izauro da Veiga e Souza Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s